MULHERES DE CORAÇÃO DE JESUS/MG PARTICIPAM DA MARCHA DAS MARGARIDAS

A Marcha das Margaridas deste ano teve como tema "A Marcha das Margaridas na luta por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência". A sexta edição do evento reuniu cerca de 100 mil mulheres em Marcha em direção à Esplanada dos Ministérios.

Por Mariana Soares Ferreira


Nos dias 13 e 14 de agosto de 2019 aconteceu em Brasília a 6ª Marcha das Margaridas, um movimento social que reúne mulheres do campo e da cidade em prol do reconhecimento social, político, cidadania plena e direito igualitário. A Marcha das Margaridas deste ano teve como tema "A Marcha das Margaridas na luta por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência". O evento reuniu cerca de 100 mil mulheres, trabalhadoras do campo, da floresta, das águas, indígenas e quilombolas, o que configura a maior ação política organizada e protagonizada por mulheres da América Latina.

A Marcha das Margaridas é organizada pela CONTAG (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura), FETAGS (Federação da Agricultura dos Estados) e conta com a parceria de todos os Sindicatos de Trabalhadores Rurais do Brasil e vários outros movimentos sociais como a CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Marcha das Margaridas: manifestação em Brasilia-DF, mulheres que lutam por direito iguais, pela soberania e contra o feminicídio . Foto de Mariana Soares.
Marcha das Margaridas: manifestação em Brasilia-DF, mulheres que lutam por direito iguais, pela soberania e contra o feminicídio . Foto de Mariana Soares.

A Marcha acontece a cada quatro anos quando mulheres camponesas de todos os estados do Brasil marcham na capital do país, em direção à Esplanada dos Ministérios, inspiradas na história da líder sindical Margarida Maria Alves. Por defender as mulheres campesinas de toda forma de violência e por lutar pela igualdade e garantia dos direitos das mulheres do campo e da floresta, Margarida foi assassinada no ano de 1983 na cidade de Alagoa Grande/PB.

Na edição deste ano é importante ressaltar o papel fundamental do movimento Sindical de Trabalhadores Rurais que se empenhou em levar participantes do norte de Minas. Para agregar à luta das Margaridas, o Sindicato de Trabalhadores Rurais de Coração de Jesus enviou um ônibus com 40 participantes, entre mulheres campesinas e alguns homens que se juntaram à luta. Dentre os participantes, destaco a participação da juventude rural da comunidade de Passagem Funda, da qual faço parte, que de forma significativa se fez presente na Marcha à frente de uma batucada de som. Por meio da cultura oral e musical do campo, alegraram e entusiasmaram todos os envolvidos na passeata.

É importante destacar que o apoio dos sindicatos é essencial para que a marcha sobreviva, pois a colaboração, a participação política, os debates e a própria marcha têm papel educativo em diversos aspectos importantes à luta campesina. Adicionalmente, os sindicatos têm o importante papel da mobilização, capacitação e organização das mulheres do campo que participar da Marcha e de outras frentes de resistência. Assim, as lutas populares dos trabalhadores e trabalhadoras do campo são fruto da parceria e da organização dos campesinos que, espera-se, continuem fortalecendo o próprio movimento que, como se sabe, vive um cenário político desfavorável.

Referência

MARCHA das Margaridas leva 100 mil mulheres do campo a Brasília.Disponível em: <www.cartacapital.com.br/sociedade/marcha-das-margaridas-leva-100-mil-mulheres-do-campo-a-brasilia/amp/>. Acesso em 04/11/2019.  

Veja também