ESCOLA INVESTE EM PROJETO EDUCATIVO DE HORTA COMUNITÁRIA

por Ivani Lemes Ferreira do Nascimento e professores da Educação Integral da Escola Estadual Pe. João Afonso

Na comunidade de Padre João Afonso, Itamarandiba, os alunos se tornaram os principais responsáveis em ajudar a produzir os alimentos que consumirão na merenda escolar. Com o objetivo de proporcionar uma alimentação de qualidade para os alunos do projeto da Educação Integral e Integrada, parte da comunidade escolar da Escola Estadual de Padre João Afonso teve a iniciativa da construção de uma horta, pela qual os próprios alunos seriam os beneficiados. A equipe responsável pela idealização foi composta pelas professoras Ivani Lemes Ferreira Nascimento, Priscilla Cristina Alcântara, Marcileia Aparecida Fernandes, Geovana Micaeli G. Oliveira e o professor Pérsio Rodrigo Lemos Neves, contando com a coordenação de Hélia Santos Azevedo. Para viabilizar o plantio, a professora Ivani Lemes Ferreira Nascimento doou um terreno, situado aos arredores da escola. O professor Pérsio, o servidor Adelmo José Barbosa dos Santos e os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) Sebastião Eufrázio e Pedro Valeriano Almeida ajudaram na limpeza do terreno, na preparação dos canteiros e nos plantios das primeiras mudas. E assim a horta foi construída.

Para o cuidado diário da horta, conta-se atualmente com a ajuda dos alunos, professores, além de duas auxiliares de serviços do projeto, Maria Aparecida de Sousa e Sônia da Conceição Lemos Ribeiro. Nesse processo, é importante ressaltar que é utilizada água natural, retirada manualmente de um poço, para molhar as plantas. Lucimara de Matos Barbosa, que hoje faz a merenda dos alunos da educação integral, conta que já foi aluna da EJA nessa mesma escola e relembra uma aula em também houve a construção de uma horta, a qual considerou um momento de grandes aprendizados: "aprendi a cuidar de uma horta de maneira correta". Segundo Lucimara, uma das coisas que considera de extrema importância nesse projeto é que a comunidade passa a saber da procedência dos alimentos, que é "sem uso de agrotóxico e, como adubo, é usado o orgânico".

Além do preparo do solo e do cultivo dos legumes e verduras, os alunos aprendem outros valores a partir desta atividade. Estabelecem, por exemplo, relações entre o sabor e o valor nutritivo dos alimentos cultivados sem agrotóxicos. Compreendem, também, a relação entre solo, água e nutrientes para obter uma alimentação saudável e equilibrada. Em consonância com a escola, devido à grande quantidade de alimentos produzidos, além da alimentação dos alunos da Educação Integral, os alimentos também são utilizados para a merenda dos demais estudantes. Pelo sucesso da experiência, entende-se que projetos como este proporcionam a valorização da cultura e do homem do campo e da agricultura familiar. 

NOTÍCIAS MAIS RECENTES EM NOSSO SITE

Seja o primeiro a ler as novidades!

Se a vida das comunidades indígenas do Brasil nunca foi fácil, atualmente não há diferença ou esperança de mudança, pois estão enfrentando grandes problemas no que concerne às demarcações de suas terras, haja vista que o executivo deixou bem claro que no atual governo não haverá demarcações.

O trabalho escravo é um fenômeno mais amplo do que se imagina. É fácil encontrar notícias de uma realidade que boa parte das pessoas desconhece ou imagina ser possível nesse mundo globalizado, o trabalho escravo nos bastidores da indústria fashion. Para uma prestação de serviços mais barata, muitos atentam contra a dignidade do ser humano, até com...