COOPERATIVISMO COMO INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO EM ATALEIA-MG

Reunião do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS), com parceria com a EMATER (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural), busca esclarecimentos acerca do cooperativismo para produtores rurais no município de Ataléia-MG.

Por Mateus Felipe Oliveira.

A reunião do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS), com parceria com a EMATER (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural), aconteceu no Mercado Municipal de Fidelândia, município de Ataléia-MG, no dia 12 de abril de 2019.

O objetivo central da reunião foi buscar esclarecimentos acerca do cooperativismo para os produtores rurais do município. A atividade ocorreu em forma de roda de conversa, contan do com a presença do senhor Idalmar Pereira de Souza, técnico agrícola e membro do escritório central da EMATER-MG.

Segundo Cristinjaques Santos, que é membro do CMDRS, uma das principais demandas do município de Ataléia é a busca por um meio de comercializar o que é produzido pela agricultura familiar. Por mais que as associações auxiliem nesse aspecto, elas não podem ter fins lucrativos; e embora essa produção não seja de grande escala, possui muita variedade. No entanto, o comércio é difícil devido ao acesso e às burocracias que o processo de transporte demanda, fato que desmotiva os produtores. Sendo assim, a maioria da produção não consumida por seus proprietários é descartada ou destinada ao trato dos animais.

A fim de promover o acesso do produtor rural ao meio mercantil e também de ajudar seus membros a se saírem melhor no mercado com a venda de seus excedentes, cogitou-se a criação de uma cooperativa, que tem objetivo econômico, mas sua funcionalidade se diferencia da de uma empresa e atende melhor às necessidades dos produtores. Enquanto um negócio tradicional visa fortemente ao lucro, a cooperativa tem como função aumentar a produtividade e o lucro de forma mais colaborativa e horizontal.

O cooperativismo, pauta principal da reunião, foi tratado como instrumento da transformação. Segundo os técnicos presentes, sua implementação no município é uma maneira de autogestão entre os moradores, com potencial para viabilizar o acesso a inúmeros benefícios por meio de uma ação social e econômica organizada. A solidariedade entre pessoas é o termo-chave para o sucesso no cooperativismo, no qual o objetivo é o benefício de todos com base na sua linha de produção.

Esses ideais são de suma importância na criação de uma gestão democrática e realmente de cooperação. Esse processo envolve a criação de um estatuto que detalhe como deve ser a escolha dos administradores. Segundo Idalmar, isso quer dizer: a participação econômica dos membros, limites de autonomia e independência, de forma que a assembleia geral tenha o poder soberano dentro da organização e na tomada de decisões.

Além do bate-papo, houve o relato de um dos membros da cooperativa Frutos da Terra, de Teófilo Otoni, que trouxe suas experiências com a cooperativa e esclareceu as dúvidas dos produtores locais. Como cooperado da Frutos da Terra desde a fundação, em 2013, Marcílio Oliveira viu o crescimento e os benefícios adquiridos em sua cooperativa, que já possui seis anos de fundação e funcionamento.

A cooperativa trabalha no comércio pelo PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) e pelo PAA (Programa de Aquisição de Alimentos). Nesses seis anos, já se estabeleceu comercialmente trazendo a seus cooperados grandes benefícios econômicos. Atualmente entrega seus produtos a 33 escolas da rede estadual e ao almoxarifado da prefeitura do munícipio de Teófilo Otoni, que atende às escolas municipais.

Veja também

A Marcha das Margaridas deste ano teve como tema "A Marcha das Margaridas na luta por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência". A sexta edição do evento reuniu cerca de 100 mil mulheres em Marcha em direção à Esplanada dos Ministérios.