CAPIVARI, EM SERRO-MG, PASSA A SER RECONHECIDA COMO COMUNIDADE TRADICIONAL QUILOMBOLA

Comunidade de aproximadamente 211 anos passou a buscar tal reconhecimento a partir do ingresso de moradores locais na universidade

Por: Eni Elizabete Marques Ribeiro

Fundada por famílias compostas por sujeitos que foram escravizados ou descendentes, Capivari é uma comunidade com aproximadamente 150 famílias, 490 habitantes, e com vários atrativos naturais e artefatos culturais. Está localizada no Alto Jequitinhonha, aos pés do Pico do Itambé, a 27 km do município de Serro, no estado de Minas Gerais. No dia 30 de janeiro de 2019, por meio de publicação no Diário Oficial da União, a comunidade então foi certificada como quilombola pela Fundação Cultural Palmares por meio da Portaria n.23/2019.

Comunidade quilombola de Capivari, com vista para a capela ao fundo. Adão da Conceição
Comunidade quilombola de Capivari, com vista para a capela ao fundo. Adão da Conceição


Mesmo que a comunidade de Capivari tivesse aproximadamente 211 anos, conforme registro feito em uma das telhas da antiga Capelinha de Bom Jesus, fundada em 1808 e um dos cartões postais do local, seu reconhecimento como Comunidade Tradicional só ocorreu após a estudante Graziele Aparecida de Jesus, nascida no lugar, ter iniciado o curso de graduação da Licenciatura em Educação do Campo na UFVJM e, a partir de suas vivências na universidade, ter iniciado formalmente a ação de reconhecimento. Essa busca, assim, mobilizou todos da comunidade a lutarem pelo tão sonhado título. Como exemplo de experiência que a vivência universitária proporcionou, vale ressaltar a atuação do programa PIBID-Diversidade na região de Serro-MG em período compreendido entre 2016 e início de 2018 - grupo do qual a estudante fez parte enquanto bolsista - que teve como tema central a noção de 'educação quilombola', levando a equipe a se aprofundar nas reflexões sobre o assunto.

No dia 18 do mês de outubro de 2018, a estudante Graziele convidou o diretor de Politicas para Povos de Comunidades Tradicionais e representante legal da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, Vandeli Paulo dos Santos para um bate papo com os moradores de Capivari, com o objetivo de se trazer no diálogo um pouco da história local. Vandeli ouviu relatos dos moradores, dentre eles os de estudantes da Licenciatura em Educação do Campo (LEC/UFVJM). Algumas das falas desses licenciandos resgataram elementos que foram objeto de pesquisa em atividades da universidade. Vandeli, além de ouvir nossa historia, também contou a experiência dele como pertencente a quilombo. A partir dessa conversa, os moradores presentes reivindicaram a nossa identidade quilombola, busca que foi assessorada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (SEDA). A operacionalização do processo que culminou na certificação foi intermediada por Vandeli.

Atualmente a comunidade de Capivari ainda está em fase de transição, buscando compreender e operacionalizar os direitos e particularidades advindas dessa certificação. O próximo passo previsto é criar uma associação comunitária para procuramos políticas publicas de melhorias para a comunidade. A partir dessa publicação no diário oficial, o município de Serro passa a contar com seis comunidades quilombolas, e as pessoas do lugar podem dizer, com honra, que Capivari faz parte desse grupo de comunidades tradicionais. 

Veja também

Reunião do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS), com parceria com a EMATER (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural), busca esclarecimentos acerca do cooperativismo para produtores rurais no município de Ataléia-MG.