BIODIVERSIDADE DO CERRADO É TEMA DE PROJETO EM RIO PARDO DE MINAS-MG

A comunidade Tradicional Geraizeira do Moreira está localizada a 18 km do Município de Rio Pardo de Minas, no norte de Minas Gerais, e há alguns anos tem se contado com a colaboração e atuação do projeto Bem Diverso dentro da comunidade.

Por: Tatiane Mendes Sousa

Atividade do projeto Bem Diverso: Intercambio entre comunidades. Joelma Ribeiro.  2018.
Atividade do projeto Bem Diverso: Intercambio entre comunidades. Joelma Ribeiro. 2018.

O Bem Diverso é um projeto de pesquisa do Embrapa, com parceria do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), que começou a atuar na comunidade do Moreira no dia em maio de 2016. Tem como objetivo de trabalhar com a biodiversidade do cerrado, especificamente com o coquinho azedo, fruto típico da comunidade. De acordo com o site do Projeto Bem Diverso, seu objetivo é:

(...) contribuir para a conservação da biodiversidade brasileira em paisagens de múltiplos usos por meio do manejo sustentável da sociobiodiversidade e de (SAFs), de modo a assegurar os modos de vida das comunidades tradicionais e agricultores familiares, gerando renda e melhorando a qualidade de vida. (PROJETO BEM DIVERSO).

Inicialmente, para execução dos trabalhos, o projeto foi apresentado à comunidade, que aceitou fazer parte dessa pesquisa e desse trabalho. Mais adiante, foram iniciadas as ações dentro da comunidade em parceria com outros colaboradores, como o STTR (Sindicato dos trabalhadores e trabalhadoras rurais de Rio Pardo de Minas) e o CAA (Centro de agricultura alternativa do norte de Minas). Juntamente à comunidade, essas entidades produziram e elaboraram documentos para o reconhecimento legal da comunidade. Dentre esse material, destaca-se um laudo antropológico, que consolida a comunidade do Moreira como Tradicional Geraizeira. Trabalhos com o meio ambiente também foram feitos, como por exemplo: laudo de impacto ambiental, plantação de mudas e cerceamento das nascentes. Tudo isso visando à recuperação do meio ambiente, na esperança da volta da água nas nascentes que já secaram.

O projeto trabalhou e trabalha com crianças, jovens, adultos e também com os mais idosos. Foram realizadas oficinas para monitoramento de coquinho azedo, pesquisas sobre os frutos do cerrado, entre outras. Atualmente estão sendo feitas reuniões para o planejamento anual do que será feito na comunidade.

A atuação do projeto só veio impulsionar a luta na comunidade, que é contra o monocultivo de eucalipto na área de recarga. Desse modo, o projeto nos fortaleceu nessa luta pela volta da água, trazendo com os trabalhos realizados, em especial, ferramentas para a busca desse objetivo.

Referências

PROJETO BEM DIVERSO. Quem somos. www. Disponivel em: < https://www.bemdiverso.org.br/ >. Acesso em: 29 abr. 2019.

Veja também

Se a vida das comunidades indígenas do Brasil nunca foi fácil, atualmente não há diferença ou esperança de mudança, pois estão enfrentando grandes problemas no que concerne às demarcações de suas terras, haja vista que o executivo deixou bem claro que no atual governo não haverá demarcações.

O trabalho escravo é um fenômeno mais amplo do que se imagina. É fácil encontrar notícias de uma realidade que boa parte das pessoas desconhece ou imagina ser possível nesse mundo globalizado, o trabalho escravo nos bastidores da indústria fashion. Para uma prestação de serviços mais barata, muitos atentam contra a dignidade do ser humano, até com...