1ª FEIRA CULTURAL DA COMUNIDADE PRATINHA ENCERRARÁ O ANO UNINDO CULTURA E TRADIÇÃO

por Mateus Felipe Oliveira.

A 1º Feira Cultural da Comunidade da Pratinha, município de Ataléia-MG, busca ser o mais novo atrativo cultural da localidade. A ser realizada no dia 29 de Dezembro de 2018, às 16 horas, no Galpão da Sede da Associação da Comunidade, o intuito da feira é fomentar a identidade e valores culturais da região. Isso, além de propiciar lazer e arrecadar fundos para a Associação de Pequenos Produtores Rurais da Pratinha.

Para tanto, o evento contará com várias barraquinhas. Elas comercializarão deliciosas comidas típicas, peças de artesanato e alguns produtos cultivados e produzidos na própria comunidade, como feijão, milho, banana, o doce da banana, queijo, requeijão e a cachaça. Teremos ainda o tradicional Vilão, que consiste em uma dança de pares que vão se entrelaçando ao som da viola e dos versos jogados pelos participantese remete à cultura de celebração entre amigos. Tudo isso ao som do bom e velho forró, que acontecerá ao vivo com Vinícius Lima.

Segundo Maria Natiele, uma das organizadoras do evento e graduanda da Licenciatura em Educação do Campo (LEC-UFVJM), a feira visa ao lucro e à geração de renda para a comunidade. "Percebemos que em nossa comunidade temos uma rica diversidade de produção de alimentos que não tem sido comercializada e não tem recebido seu devido valor. Se um dos objetivos da educação do campo é que possamos criar mecanismos e recursos de permanecer nas nossas comunidade, este é o pontapé inicial para o desenvolvimento social e a permanência do homem no campo. Afinal, se o campo não planta, a cidade não janta". As expectativas entre os moradores também é grande. Seu Adalberto, por exemplo, diz que mal pode esperar pelo dia. Segundo ele, "a comunidade tem andado meio devagar com as comemorações tradicionais e essa feira é uma forma de reanimar e valorizar a nossa cultura e as nossas festividades".

Quer saber como participar da festa? Entre em contato com: natyelesr@gmail.com

Veja também

Se a vida das comunidades indígenas do Brasil nunca foi fácil, atualmente não há diferença ou esperança de mudança, pois estão enfrentando grandes problemas no que concerne às demarcações de suas terras, haja vista que o executivo deixou bem claro que no atual governo não haverá demarcações.

O trabalho escravo é um fenômeno mais amplo do que se imagina. É fácil encontrar notícias de uma realidade que boa parte das pessoas desconhece ou imagina ser possível nesse mundo globalizado, o trabalho escravo nos bastidores da indústria fashion. Para uma prestação de serviços mais barata, muitos atentam contra a dignidade do ser humano, até com...