OPINIÃO

A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA NO COTIDIANO DOS ESTUDANTES: formando cidadãos críticos e reflexivos 

EPISTEMOLOGIA DO CAMPO EM REDE: UM ANO DO PROJETO 'OLHARES DO CAMPO' 


Por: Sandra Ferreira da Silva e Noemi Campos Freitas Vieira

Você sabe como acontece o ensino da literatura nas escolas? Baseado em estudos sobre literatura, e relacionando as experiências... Leia mais...

Por: Mauricio Teixeira Mendes

Como alguém que acompanha de perto o projeto 'Olhares do Campo' desde seu início, quando atuava como bolsista ao fim de minha graduação, trago hoje uma retrospectiva de um ano do projeto. Como sou natural de uma comunidade do campo, ao longo de minha vida não sabia exatamente o que era novo em uma notícia, apesar de gostar de assistir jornais todos os dias. Na minha infância e juventude... Leia Mais


ONDE ESTÁ O CAMPO NAS JUVENTUDES MODERNAS?

 

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO


Por: Juliano Gonçalves Pereira

"O sertão está dentro da gente", disse Guimarães Rosa. Esta frase acompanhou-me nas travessias que fiz e serve de pista para a indagação que abre este texto. Há cinco anos retornei a Minas Gerais, depois de uma temporada passando por Brasília/DF e Rio de Janeiro. Em fevereiro de 2016 finquei minhas ... Leia mais

Por: Eliane Maria Gomes Barbosa e Carlos Henrique Silva de Castro 

As práticas de leitura e escrita, além de promoverem uma leitura mais ampla do mundo em que vivemos, podem nos ajudar a compreender nossa história em diversos aspectos ... Leia mais.


"ÁGUA VIVA... INHĀ"!


A FEIRA LIVRE EM SÃO GONÇALO: PARA ALÉM DO ACESSO AO ALIMENTO, UM ESPAÇO DE SOCIABILIDADE E AFETO 

Por: Ana Marina de Paula e Helder de Moraes Pinto

Você sabia que exercícios de história da educação nos permitem saborear curiosidades da "vida roceira" de Diamantina-MG. E que existe aí nesta vida, por exemplo, um lugarejo com diversas  ... Leia mais

"Na feira ninguém está só" (Fernando Braudel)  

Por: Maycon Souza Ferreira

Em São Gonçalo do Rio das Pedras, região do Serro-MG, é realizada quinzenalmente a atividade de feira livre denominada carinhosamente de 'A Feira de Todos Nós'. Trata-se de um espaço de sociabilidade onde se trocam saberes e que ... Leia mais


A UMIDADE RELATIVA DO AR

Por: Tálita Tamires Teles Evangelista e Luciano Soares Pedroso

Você já observou que ao colocarmos algum líquido gelado em um copo ou caneca, este fica "suado" (formam gotículas de água - transpira) pelo lado de fora? Ao longo deste texto vamos compreender como estas gotículas se formam e a aplicação ... Leia mais


O que nos importa?

por Roger Pereira

Num/ mundo cada vez mais conectado, estamos a poucos cliques de qualquer informação. Não precisamos de mais do que alguns segundos para saber as principais notícias do Brasil ou do mundo, lendo, ouvindo ou vendo, quase que em tempo real, os acontecimentos mais importantes nos sendo transmitidos ou relatados pelos mais diversos canais. Mas e os fatos que acontecem ao nosso redor? O jornalismo de massa e globalizado nos permite acompanhar passo a passo as guerras no Oriente Médio, as disputas comerciais entre Estados Unidos e China, o drama dos refugiados (sírios ou venezuelanos). O noticiário não nos deixa esquecer a prisão do ex-presidente Lula, nos alerta sobre cada centavo que o dólar oscila a cada hora do dia, nos deixa por dentro da vida das celebridades e nos notifica a cada gol do Flamengo.

É muito bom estar bem informado. O acesso a todo esse conteúdo nos permite formar nossos conceitos, escolher em quem confiar nosso voto, decidir se é hora de poupar dinheiro ou comprar um bem. Nos dá cultura, nos deixa mais preparados para o dia a dia.

Mas será que os grandes jornais, sites ou programas de notícias na TV nos dão todas as notícias que precisamos? Mais: será que nos dão as notícias que mais precisamos? As informações e os acontecimentos que mais influenciam nossas vidas não são os de São Paulo, nem de Brasília, muito menos, de Washington. A notícia que realmente importa é a que acontece na nossa comunidade, ao nosso redor. E isso não sai no jornal.

Essa é a função do jornalismo comunitário: um jornalismo feito pela comunidade e para a comunidade, em que o que importa, e só o que importa, é o que acontece neste local ou grupo específico. Aqui, a notícia é o nosso problema do dia a dia, os grandes fatos são os acontecimentos que envolvem a nossa gente, os principais eventos, os que ocorrem do lado de nossa casa.

Que notícia influencia mais a nossa vida? Uma reunião da ONU sobre a crise ambiental, ou um programa na nossa região para incentivar a produção de orgânicos? A retomada do programa espacial da NASA ou a mudança do horário do ônibus que pegamos todos os dias? O vencedor do prêmio Nobel ou um novo curso ofertado na nossa universidade? A crise política nos Estados Unidos, ou a criação de um conselho local? Os gols do Neymar ou um programa de iniciação esportiva lançado para nossas crianças? O próximo disco da Anitta ou a programação cultural de nossa cidade?

O jornalismo comunitário traz informação específica e relevante para a comunidade a que se propõe a atender; deixa a população ciente dos problemas e dos acontecimentos do local; envolve as pessoas na produção de conteúdo; promove ações e, até, produtos locais com eficiência; e aumenta o poder de reivindicação do povo perante as autoridades. Faça parte do seu jornal comunitário: informe-se e ajude a informar...

CADASTRE-SE E SEJA O PRIMEIRO A RECEBER AS NOSSAS  NOVIDADES!